terça-feira, 15 de setembro de 2015

Nacionalismo,patriotismo e os revolucionários

Um dos motivos que me levou a escrever sobre esse tema foi o profundo desconhecimento, por parte de muitos militantes de esquerda, da importância do nacionalismo, do patriotismo para o despertar revolucionário do povo, friso aqui que não se trata do nacionalismo e nem do patriotismo bradado pela direita, que carrega sua bandeira verde amarela, enquanto entrega o país ao imperialismo e as multinacionais, muito menos o nacionalismo de classe média, do qual apenas conhece a fadada palavra de ordem ''sou brasileiro, com muito orgulho etc'' e vai ter filhos em miami para nascerem com cidadania americana. o que vou colocar aqui é o verdadeiro nacionalismo, o que esta intrinsecamente ligado com os interesses do povo, dos trabalhadores, que verdadeiramente são os patriotas que temos.

Infelizmente com o passar do tempo, e também  por conta da ditadura militar que se utilizou de um nacionalismo mentiroso e entreguista, para atacar a esquerda e coloca-la como antinacional e algo que seria contra a soberania nacional, o nacionalismo e o patriotismo, e suas respectivas palavras de ordem, foram deixando de existir nas reivindicações dos partidos de esquerda, quando algo do tipo acontece hoje, acaba se tornando ridículo, justamente pela forma como é apresentada, geralmente simplista e semelhante ao que a classe média alienada faz. Isso de certa maneira demonstra que a esquerda atualmente, pelo menos parte dela, não sabe lidar e representar as questões nacionais, mas isso não se deve apenas a questão da ditadura, mas também ao crescimento do desconhecimento histórico nacional e internacional, das revoluções, dos comunistas e de suas reivindicações.

Essa situação também ocorreu por conta da globalização não só econômica, mas cultural no ocidente,  no qual as culturas nacionais, regionais etc, são suprimidas pela padronização estética, discursal do imperialismo, seja o estadunidense ou o europeu, essa situação colocou a questão nacional e a soberania, inclusive cultural, em ultimo plano, já que tudo tem que se tornar parecido para a industria logicamente faturar mais, isso, juntamente com o desconhecimento histórico, faz com que a esquerda perca sua identidade ou ligação nacional, até porque os seus militantes não vivem em bolhas, e portanto com a falta de teoria e o avanço da padronização das culturas também entram nesse processo .

O que devemos deixar claro aqui é  que,o nacionalismo sempre serviu como propulsor das revoluções no mundo inteiro, antes de se declarar socialista por exemplo, a revolução cubana era nacionalista, independentista, contra o neocolonialismo americano que imperava em Cuba, fazendo da ilha literalmente o prostíbulo do imperialismo, não é exagero, antes da revolução Cuba tinha 150 mil prostitutas, isso as registradas, mas voltando ao nosso tema, o nacionalismo, e portanto o patriotismo são elementos fundamentais para um revolucionário comunista/socialista que luta pela emancipação do seu povo, abdicar disso em prol de um ''internacionalismo'' abstrato e falacioso é manipular a história, ou desconhece--la completamente.

Como comunistas, socialistas ou mesmo progressistas, temos uma responsabilidade grande nesse tema, pois é do interesse da direita que a esquerda seja vista de forma antinacional, ou mesmo uma linha politica e ideológica que não se importa com as questões nacionais e nem com o país, o nacionalismo e o patriotismo são questões fundamentais que devemos voltar a tratar na esquerda e coloca-los também na ordem do dia, no sentido de reorganizar as lutas e as palavras de ordem.Nós somos os revolucionários que verdadeiramente querem a pátria livre, seja do imperialismo, do neocolonialismo e da exploração, queremos uma economia independente, forte e justa para os trabalhadores. Somos comunistas, patriotas e revolucionários.

















Nenhum comentário:

Postar um comentário