quinta-feira, 21 de abril de 2016

Mao Tsé-Tung - Um Estudo sobre a Educação Física

Resultado de imagem para Mao Tsé-Tung - Um Estudo sobre a Educação Física


Extraído de uma redação publicada em abril de 1917, em Hsin Ching-Nein] 


Nossa nação está necessitada de força. O espírito militar não é encorajado; a condição física da população se deteriora diariamente. Este é um fenômeno extremamente perturbador. Os promotores da educação física não se agarram ao essencial do problema, e, portanto, seus esforços, embora prolongados, não foram efetivos. Se este estado continuar, nossa fraqueza crescerá ainda mais. Atingir os nossos objetivos e fazer nossa influência ser sentida são assuntos externos, resultados. O desenvolvimento de nossa força física é de um assunto interno, uma causa. Se nossos corpos não forem fortes, ficaremos com medo quão logo os soldados inimigos apareçam em nossas portas. E então, como poderemos alcançar nossos objetivos e nos fazer respeitados? A força depende de treinamento e treinamento depende de autoconsciência. Os defensores da educação física não falharam em vislumbrar métodos os mais variados. Se seus esforços tivessem ainda assim permanecido estéreis, isto se daria devido a insuficiência de forças externas para moverem o coração.

Se queremos fazer da educação física algo efetivo, devemos influenciar as atitudes subjetivas da população, estimulá-la e torná-la consciente à educação física. Se o indivíduo se torna consciente do problema, um programa para a educação física virá facilmente, e assim alcançaremos nossos objetivos e faremos nossa influência ser sentida naturalmente.
1. Um esclarecimento sobre a educação física


A educação física auxilia na preservação da vida. O oriente e o ocidente diferem em suas interpretações sobre o assunto. Chuang Tzu usava como exemplo o ato de cozinhar; Confúcio, o exemplo do arqueiro e do condutor de biga. Na Alemanha, a educação física ganhou grande popularidade. A esgrima se alastrou por todo o país. O Japão possui o bushido; e, além disto, seguindo o exemplo do nosso país, o judô desenvolveu no Japão uma posição admirável. Quando examinamos estes exemplos, observamos que tudo se inicia através dos estudos da fisiologia.

2. O lugar da educação física em nossas vidas


"A educação física complementa a educação da virtude e do conhecimento; afinal, ambos virtude e conhecimento residem no corpo. Sem o corpo, não haveria nem virtude e nem conhecimento. São raros aqueles que compreendem isto. Pessoas costumam focar-se ou no conhecimento, ou na moralidade. Conhecimento é certamente valioso, pois distingue o homem do animal. Mas onde o conhecimento é contido? A moralidade também é valiosa: ela é o sustentáculo da ordem social, da igualdade entre nós e os outros. Mas onde a virtude reside? O corpo contém o conhecimento e hospeda a virtude. Ele carrega a erudicação como uma carruagem e hospeda a moral como um quarto. O corpo é a carruagem da erudicação, o aposento da retidão. As crianças entram na escola primária quando alcançam a idade apropriada. No primário, uma atenção particular deveria ser dada ao desenvolvimento do corpo; o progresso intelectual e moral são de importância secundária. O cuidado e a nutrição deveriam ser primários; disciplina e o ensinamento, complementares. Atualmente, poucas pessoas sabem disto, e o resultado é que as crianças adoecem, ou até mesmo morrem cedo, por causa do estudo. No ensino fundamental e médio, a ênfase deve cair igualmente sobre os três aspectos educacionais; enquanto que, no presente, a maioria das pessoas exagera, acentua o aspecto intelectual. Durante os anos do ensino fundamental, o desenvolvimento do corpo ainda não está completo. Visto que são poucos, atualmente, os fatores favorecendo o desenvolvimento físico, e aqueles desencorajando-o são muitos, não haveria uma tendência para o desenvolvimento físico cessar? No sistema educacional do nosso país, os cursos exigidos são tão densos quanto os pelos de uma vaca. Se mesmo um adulto com um corpo resistente, forte, não poderia suportá-lo, muito menos aqueles que não tenham atingido a idade adulta, ou aqueles que são fracos. Especulando sobre as intenções dos educadores, alguém é levado a pensar se os mesmos não projetaram um currículo com a intenção de levar à exaustão os estudantes, para pisar nos corpos deles, arruinar a vida deles... Que estupidez! A única calamidade que pode suceder a um homem é a de não ter um corpo. O que mais há com o que se preocupar? Se alguém deseja aperfeiçoar o físico de outrem, outros aspectos o seguirão automaticamente. Para o aprimoramento do corpo, nada é mais efetivo do que a educação física. A educação física realmente ocupa o primeiro lugar em nossas vidas. Quando o corpo é forte, então o indivíduo pode avançar rapidamente pelo saber e a moralidade, colhendo vastos benefícios. Ela deveria ser considerada uma importante parte de nossos estudos. O aprendizado possui partes essenciais e partes suplementares; os projetos possuem os seus fins e os seus começos. Reconhecer o que vem primeiro e o que vem por último colocará o indivíduo mais próximo ao meio correto de realizá-los." (De "O Grande Aprendizado", um dos quatro clássicos confucianos). Isto é exatamente o que eu tenciono a dizer.



3. Os abusos anteriores da educação física e o meu método para remediá-los



As três formas de educação são igualmente importantes; os estudantes, até agora, deram muita atenção à educação moral e intelectual, negligenciando a educação física. A infeliz consequência disto é que eles curvam suas costas e abaixam suas cabeças; eles possuem "mãos magras e pálidas" (dos Dezenove Poemas Antigos, uma famosa coleção de poemas da dinastia Han); quando sobem um morro, suas respirações são ofegantes, e quando andam pela água, ficam com cãibras nos pés. É por isto que Yen Tzu teve uma vida curta e Chia morreu jovem. Quanto a Wang Po e Lu Chao-lin, o primeiro morreu cedo e o outro ficou paralítico. Todos estes eram homens the grande realizações em virtude e erudição, mas chega um dia em que o corpo não pode ser preservado e, assim, virtude e erudição são destruídas com ele. Somente os homens do norte estão aptos a "viver debaixo das armas e encontrar a morte sem lamentos" (D'A Doutrina do Meio, uma dos clássicos confucianos). Nas regiões de Yen e Chao havia muitos herois, e mártires e guerreiros frequentemente vieram de Liangchow. No início da dinastia Qing, Yen Hsi-chai e Li Kangchu praticavam ambas as artes militares e literárias. Yen Hsi-chai viajava cerca de mil li (Cerca de 0,5 quilômetros) ao norte da Grande Muralha para aprender esgrima. Ele confrontou bravos soldados e venceu. Consequentemente, ele veio a dizer: "Se alguém carece das artes literárias ou das militares, é este o verdadeiro caminho?"... Até onde nós, estudantes, sabemos, a instalação de uma escola e a instrução oferecida pelos seus professores são apenas o aspecto objetivo e externo. Nós também possuímos o interno, o aspecto subjetivo. Quando a decisão de um indivíduo é feita em seu coração, então todas as partes do corpo obedecem as ordens do seu peito. A fortuna e o azar são de nossa própria busca. "Eu gostaria de ser virtuoso, e eis a virtude em mãos." (dos Analectos de Confúcio). Quão mais isto é verdadeiro para a educação física! Se nós não temos a vontade para agir, então mesmo que o exterior e o objetivo sejam perfeitos, eles ainda não nos beneficiarão. Logo, quando falamos em educação física, deveríamos começar pela iniciativa individual.



4. A utilidade da educação física



Porque o homem é um animal, o movimento tem suma importância para ele. E porque ele é um animal racional, seu movimento deve ter um sentido. Mas por que é o movimento merecedor de estima? Por que é o movimento racional merecedor de estima? Dizer que o movimento colabora com o ganho da vida é trivial. Dizer que o movimento protege a nação é grandioso. Ainda assim, nem um dos dois é o motivo basilar. O objetivo do movimento é simplesmente preservar nossas vidas e alegrar nossos corações. Chu Hsi enfatizou o respeito e Lu Chiu-yuan enfatizou a tranquilidade. Tranquilidade é tranquila e respeito não é ação; é meramente tranquila. Lao Tzu disse que a imobilidade é o objetivo último; Buda buscou a quietude e métodos de contemplação. A arte de contemplação é estimada pelas disciplinas de Chu e Lu. Recentemente tivemos esses que, seguindo estes mestres, falaram sobre métodos de contemplação, alardeado sobre a efetividade dos métodos deles, e expressaram desprezo àqueles que se exercitam, assim arruinando seus corpos. Este é talvez uma das vias, mas eu não me arriscaria a segui-la. Em minha humilde opinião, somente há movimento no céu e na terra...



Frequentemente escutamos que o corpo e a mente não podem ser ambos perfeitos ao mesmo tempo, que aqueles que usam suas mentes são deficientes em saúde física e aqueles com um corpo robusto são geralmente deficientes nas capacidades mentais. Este tipo de conversa é também absurda e aplica-se somente àqueles que são fracos em vontade e débeis em ação, o que geralmente não é o caso do homem superior. Confúcio morreu na idade de setenta e dois anos, e eu jamais ouvi dizer que seu corpo não era saudável. Buda viajou continuamente, pregando sua doutrina, e morreu em uma idade elevada. Jesus teve o infortúnio de morrer injustamente. Quanto a Maomé, ele subjugou o mundo ao carregar o Alcorão com a mão esquerda e uma espada com a mão direita. Todos estes homens foram chamados sábios e se encontram entre os maiores pensadores.



A educação física não apenas fortifica o corpo como também eleva o conhecimento. Há um ditado: Civilize a mente e bestifique o corpo. Este é um ditado adequado. Com intuito de civilizar a mente, o indivíduo deve primeiramente bestializar o corpo. Se o corpo for bestializado, a mente civiliza virá em seguida. A erudição consiste em conhecer as coisas do mundo e discernir as suas leis. Nesta matéria, devemos confiar em nosso corpo, porque a observação direta depende de olhos e ouvidos, e a reflexão depende do cérebro. Os olhos e os ouvidos, assim como o cérebro, devem ser considerados parte do corpo. Quando o corpo é perfeito, o saber é igualmente perfeito. Logo, alguém pode dizer que o conhecimento é obtido indiretamente através da educação física. A educação física é exigida para empreender o estudo sobre numerosas ciências modernas, seja na escola ou no estudo independente. Aquele que a isto equivale é o homem de corpo robusto; aquele que não equivale a isto é o homem de corpo frágil. A divisão entre o robusto e o frágil determina a área de responsabilidade que cada um é capaz de assumir.



A educação física não melhora somente o conhecimento. Ela também harmoniza os sentimentos. O poder dos sentimentos é extremamente elevado. Os antigos esforçavam-se para discipliná-los com a razão. Consequentemente se perguntavam: "Está o mestre [i. e. a razão] sempre alerta?". E também diziam: "Deve disciplinar-se o coração com a razão". Mas a razão procede do coração, e o coração reside no corpo. Nós frequentemente observamos como os fracos são escravizados pelos seus sentimentos, como são incapazes de dominá-los. Aqueles cujos sentidos estão imperfeitos ou os membros estão defeituosos são geralmente escravizados por paixões excessivas, e a razão é incapaz de salvá-los. Logo, pode-se considerar uma lei invariável que, quando o corpo é perfeito e saudável, os sentimentos também o são.



A educação física não harmoniza somente as emoções, mas também fortalece a vontade. A grande utilidade da educação física jaz justamente nisto. O principal objetivo da educação física é o heroísmo militar. Tais objetos do heroísmo militar, como a coragem, a intrepidez, a ousadia e a perseverança são todas matérias da vontade. Deixem-me explicar isto com um exemplo: lavar nossos pés com água gelada nos faz adquirir coragem e intrepidez, assim como a audácia. Em geral, quaisquer formas de exercício, quando seguidos continuamente, ajudar-nos-ão no treinamento da perseverança. Corridas de longa distância são particularmente boas em treinar a perseverança. "Minha força desenraizou montanhas, meu vigor dominou o mundo" [De um poema atribuído a Hsiang Yu] -- isto é coragem. "Se eu não decapitar o Lou Lan, juro que não retornarei" -- isto é intrepidez. Substituir a família pela nação -- isto é audácia. "[Yu] esteve fora de casa por oito anos, e embora ele tenha passado três vezes pela porta dela, não entrou nem uma vez" [referência a Mêncio] -- isto é perseverança. Todas estas coisas podem ser realizadas através da mera educação física diária. A vontade antecede a carreira de um homem.



Aqueles cujos corpos são pequenos e frágeis são vacilantes em comportamento. Aqueles cuja pele é flácida são lentos e moles em vontade. Assim o corpo influência a mente. O propósito da educação física é o fortalecimento: músculos e ossos. Como resultado, o saber é incrementado; as paixões, harmonizadas, e a vontade, consolidada. Ossos e músculos pertencem ao corpo; conhecimento, sentimentos e vontade pertencem ao coração. Pode-se falar em perfeita harmonia somente quando coração e corpo vivem ambos em conforto. Consequentemente, educação física não é mais do que nutrir as nossas vidas e alegrar nossos corações.



5. As razões para a aversão ao exercício



O exercício é a parte mais importante da educação física. Atualmente, estudantes geralmente não o apreciam. Há quatro razões para isto: (1) eles não possuem autoconsciência. Se algo deve ser posto em prática, há de se tomar primeiramente o gosto por isto. Deve-se entender com precisão os porquês. Conhecer em detalhe os porquês é autoconsciência. As pessoas geralmente não reconhecem a interrelação entre elas mesmas e os exercícios -- ou podem conhecê-lo em termos gerais, mas não intimamente... (2) Eles são incapazes de mudar hábitos há muito estabelecidos. Nosso país sempre deu ênfase às realizações literárias. As pessoas coram ao vestir roupas curtas [O modo de se vestir dos guerreiros do rei Wen de Chao, segundo um capítulo do clássico taoista Chuang Tzu]. Há até um provérbio popular que diz "Um bom homem não se torna um soldado"... (3) Exercícios não foram difundidos vigorosamente... (4) Os estudantes sentem que os exercícios são vergonhosos. De acordo com a minha humilde observação, está a maior razão para o desgosto pelos exercícios. Roupas esvoaçantes, passos morosos, um olhar solene e calmo -- isto constitui uma conduta fina, respeitada pela sociedade. Por que deveria alguém repentinamente alongar um braço ou expor a perna, esticando-a e dobrando-a para baixo? Isto não é estranho? Por isto há esses que sabem muito bem que seus corpos necessitam de exercícios, e que, embora queiram verdadeiramente fazê-los, não o podem. Há esses que só conseguem exercitar-se em grupo, nunca sozinhos, e esses que só conseguem exercitar-se privadamente, nunca em público. Resumindo, tudo isto se deve à vergonha. Todas estas quatro são razões para a aversão ao exercício. A primeira e a quarta são subjetivas, de forma que a mudança depende de nós mesmos. A segunda e a terceira são objetivas; assim, a mudança depende de outros. Mas "O que o homem superior procura está dentro de si" [Analectos], o que torna a dependência de outros de menor importância.



6. Os métodos de exercício devem ser poucos



Tseng Wen-cheng lavava os pés antes de ir para a cama e andava mil passos depois das refeições, beneficiando-se profundamente deste método. Houve um homem de oitenta anos que ainda estava saudável, e que, ao ser perguntando como fazia para manter a saúde, replicou: "Eu não como refeições saudáveis, é só isto.". Atualmente, os métodos de exercícios são os mais diversos, mais do que eu posso contar. Mas apesar destes métodos poderem chegar a casa das centenas, "Um galho na floresta é suficiente para um pássaro se alojar, e se ele bebe de um rio, não bebe mais do que o seu estômago é capaz de aguentar" [De Chuang Tzu]. Nós temos apenas este corpo e somente estes sentidos, ossos, vísceras e veias. Mesmo que tenhamos várias centenas de métodos de exercício, todos eles possuem o intuito de aprimorar a circulação sanguínea. Então, se um método pode efetuar este processo, o resultado de uma centena de métodos só pode levar ao mesmo lugar. Portanto, os outros noventa e nove métodos podem ser dispensados. "Nossos olhos só podem ver uma coisa de cada vez; nossos ouvidos só podem escutar um som de cada vez." [De Hsun Tzu, um "realista" confuciano]. Empregar uma centena de diferentes métodos para treinar músculos e ossos serve apenas para danificá-los.



7. Os pontos nos quais devemos tomar atenção durante o exercício



Nós devemos perseverar em todas as coisas. O exercício não é uma exceção. Suponhamos dois homens que se exercitam. Um deles pratica e então para, o outro permanece ininterrupto. Com certeza haverá uma diferença nos resultados entre um e outro. Antes de tudo, perseverança no exercício cria interesse. Algo que está em descanso, em geral, não pode entrar por si mesmo em movimento; é preciso haver algo para movimentá-lo. Este algo só pode ser o interesse...



O interesse surge do ininterrupto exercício diário. Exercitar-se duas vezes por dia -- ao acordar e antes de dormir, sem roupa - é a melhor maneira de desenvolvê-lo. Muitas roupas impendem o movimento. Se alguém o faz diariamente, a ideia de exercitar-se esta continuamente presente, nunca sendo interrompida. O exercício do hoje é a continuação do de ontem, e isto leva ao exercício de amanhã. Os períodos individuais de exercitação não devem ser longos; trinta minutos são o suficiente. Desta maneira, um certo interesse irá naturalmente florescer. Em segundo lugar, a perseverança no exercício pode gerar prazer. Exercitar-se por um longo período de tempo pode levar a excelentes resultados e levar a um sentimento de valor pessoal. Como resultado disto, seremos hábeis a estudar com alegria, e cada dia verá um progresso em nossa virtude. Nossos corações se encherão de uma felicidade sem limites, porque perseveramos e obtivemos um resultado. Prazer e interesse são distintos. O interesse é a origem do exercício; o prazer, sua consequência. O interesse surge da ação; o prazer, do resultado. Os dois são naturalmente diferentes.



Persistência sem concentração mental dificilmente pode produzir resultados. Se observássemos as flores sobre um cavalo a galope, mesmo que o fizéssemos todos os dias, jamais as veríamos em perfeita completitude. Se o coração de uma pessoa apenas segue os cisnes pelos ares, ela não poderá competir com aqueles que estudaram o animal minuciosamente. Portanto, deveríamos concentrar todos os nossos esforços nos exercícios. Durante os mesmos, a mente deve permanecer focada na exercitação. Pensamentos confusos e inúteis devem ser colocados de lado...



O comportamento geral do homem superior é cultivado e agradável, mas não podemos dizer isto dos exercícios. Estes devem ser selváticos, grosseiros. Ser apto, ao mesmo tempo, de saltar a cavalo e atirar; ir de batalha em batalha; estremecer montanhas com um grito e as cores do céus com um urro de fúria; ter a força para desenraizar montanhas, como Hsiang Yu, e a audácia para perfurar o alvo, como Yu Chi -- tudo isto é rude e selvagem e não tem nada a ver com delicadeza. A fim de progredir no exercício, o homem deve ser selvagem. Se o for, seus músculos e ossos serão fortes, assim como enorme vigor. O método para exercitar-se deve ser rude: assim o indivíduo poderá aplicar-se completamente no exercício, tomá-lo com seriedade, o que tornará a atividade mais fácil. Estas duas coisas são especialmente importantes para iniciantes.



Há três coisas nas quais devemos por nossa atenção durante o exercício: (1) persistência, (2) concentração de todas as nossas forças, e (3) que este seja selvático e grosseiro. Há muitas outras coisas que querem atenção. Aqui eu meramente indiquei as mais importantes.



(Tradução: Clécio Pereira).

Fonte: Blog Flagelo Vermelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário