quinta-feira, 14 de abril de 2016

O conceito de Alienação, explicado por Giddens e Sutton

Alienação*

Definição prática
Separação ou dissociação dos seres humanos de algum aspecto essencial de sua natureza ou da sociedade, muitas vezes resultando em sentimentos de impotência e desamparo.
Origens do conceito
A aplicação sociológica do termo “alienação” advém das ideias originais de Marx relacionadas ao impacto do capitalismo nas relações sociais e à falta de controle que os seres humanos têm sobre a própria vida. Marx, porém, foi influenciado pela crítica filosófica de Ludwig Feuerbach ao cristianismo. Com a ideia religiosa de um Deus todo poderoso e onisciente, o cristianismo era uma projeção do que na verdade seriam poderes humanos sobre um ser espiritual, sendo a salvação humana alcançável somente após a morte, não neste mundo. Feuerbach via isso como uma forma de alienação ou dissociação e uma mistificação dos poderes humanos que precisavam ser expostos e eliminados.
Marx (2007 [1844]) retirou o conceito de alienação desse contexto essencial mente religioso e o usou para analisar as condições de trabalho e vida em sociedades seculares inseridas no capitalismo industrial. Para Marx, a “salvação” humana está em tomar à força o controle coletivo sobre todos os aspectos da sociedade de uma pequena classe dominante no poder que explora a massa de trabalhadores. Algumas crenças religiosas faziam parte do controle ideológico que incentivava os trabalhadores a aceitar sua sina no lugar da genuína salvação na eternidade. No século XX, os sociólogos industriais usavam o conceito de alienação para em basar estudos empíricos das relações no local de trabalho sob diferentes sistemas gerenciais. Esse conjunto de pesquisas posterior tendia a ser muito mais psicológico-social do que os primeiros estudos marxistas.
Significado e interpretação
Alienação é um conceito que escapou do discurso sociológico para análises da mídia e linguagem cotidiana. É comum escutarmos que toda uma geração está se tornando “alienada da sociedade”, por exemplo, ou que as subculturas jovens representam a alienação destes em relação aos valores tradicionais. Obviamente a ideia de distanciamento ou separação é evidente aqui; porém, em Sociologia, a alienação está ligada às desigualdades das sociedades capitalistas. A abordagem do materialismo histórico de Marx teve início com o modo como as pessoas organizam suas tarefa sem conjunto para produzir bens e sobreviver. Para Marx, ser alienado é estarem uma condição objetiva que possui consequências reais, e a chave para mudar essa situação é uma questão de mudar não aquilo que pensamos ou acreditamos, mas a forma como vivemos, a fim de obter mais controle sobre as nossas circunstâncias. Pode parecer que antigamente avida do trabalho era mais exigente do ponto de vista físico, abundante e exaustiva. Para muitos grupos sociais, como camponeses e artesãos, entretanto,o trabalho era qualificado e prazeroso em si mesmo, permitia mais controle sobre as tarefas profissionais do que nas fábricas modernas, nos grandes escritórios corporativos, nas centrais de atendimento ou nos restaurantes defast-food. O trabalho hoje pode, em muitos aspectos, exigir menos fisicamente do que no passado, mas não oferece mais controle e,portanto, continua produzindo níveis elevados de alienação.
A teoria de Marx sugere que a produção capitalista cria alienação em quatro áreas principais. Os trabalhadores são alienados de seu próprio poder de trabalho: precisam trabalhar como e quando for exigido e executar tarefas definidas por seus empregadores. São alienados dos produtos de seu trabalho, apropriados com êxito pelos capitalistas para serem vendidos no mercado visando a obtenção de lucros, enquanto os trabalhadores recebem apenas uma fração em forma de salário. Os trabalhadores também são alienados uns dos outros, na medida em que o capitalismo obriga os trabalhadores a competir por vagas, e as fábricas e regiões a competir por participação no mercado. Por fim, Marx defende que, como o trabalho é uma característica essencial e determinante da natureza humana,a alienação das pessoas do trabalho das formas descritas anteriormente significa que se tornaram alienados do próprio “ser da espécie”. O trabalho não é mais prazeroso em si mesmo, mas se tornou um mero meio para um fim – receber salários para sobreviver. Isso é representado pelas conotações negativas ligadas à própria ideia de “trabalho” e sua separação da esfera muito mais agradável do “lazer”. A solução ansiada por Marx é o fim das relações de exploração capitalistas e a transição para o comunismo, no qual o controle coletivo do processo de produção se estabelece e a alienação é abolida.
*Excerto do termo Alienação, presente no livro Conceitos essenciais de Sociologia, de Anthony Giddens e Philip W. Sutton. O verbete também contempla outros tópicos, como aspectos controversos, relevância contínua e referências e leituras complementares. Os termos grifados em negrito são conceitos abordados na obra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário