quinta-feira, 21 de julho de 2016

Marxismo-leninismo não é um dogma, é um guia para a ação e teoria criativa: Kim Il Sung



O que importa é o trabalho de absorver a verdade revolucionária, a verdade marxista-leninista, e aplicá-la corretamente às circunstâncias reais de nosso país. Não pode ser determinado nenhum princípio que nos obrigue a seguir o padrão soviético. Alguns defendem o modelo Soviético e outros, os chineses, mas não é hora de trabalhar a nossa própria?

O ponto é que não devemos copiar mecanicamente formas e métodos da União Soviética, mas devemos aprender com a sua experiência na luta e na verdade marxista-leninista. Assim, ao mesmo tempo aprendemos com a experiência da União Soviética, não é necessário insistir muito no modelo, mas insistir em absorver o essencial de suas experiências(...)


Se aplicarmos mecanicamente experiências estrangeiras, desconsiderando a história do nosso país e as tradições do nosso povo e sem ter em conta as nossas próprias realidades e o grau de preparação do nosso povo, os erros dogmáticos resultarão em muito dano à causa revolucionária. Fazer isso não representa fidelidade ao marxismo-leninismo, nem ao internacionalismo; é contrariar a eles.

Marxismo-leninismo não é um dogma, é um guia para a ação e teoria criativa. Assim, o marxismo-leninismo pode exibir a sua vitalidade indestrutível somente quando aplicado de forma criativa para se adequar às condições específicas de cada país. O mesmo se aplica à experiência dos partidos irmãos. Ele irá revelar-se útil para nós somente quando nós fizermos um estudo sobre isso, captar a sua essência e aplicá-la devidamente às nossas realidades. Em vez disso, se engolimos sem assimilar e estragamos o trabalho, não só será nocivo para nosso trabalho, mas repercutirá negativamente para a valiosa experiência de nossos partidos irmãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário