domingo, 17 de julho de 2016

Marxismo ou Feminismo ? Movimento Feminino de Resistência, da Espanha.

Parecerá estranho a contraposição que parece definir este título. É o marxismo contrário ao ''ideal'' feminista, concebido como '' a legitima aspiração da mulher''(Trabalhadora e de outras camadas sociais), a alcançar sua igualdade completa com respeito ao homem e sua total emancipação ?

Deve ser um ignorante completo ou um anticomunista notório para não ver que o marxismo é a única doutrina capaz de explicar a situação da mulher na sociedade burguesa e de oferecer a verdadeira solução a todos os seus problemas. O marxismo estabeleceu a completa igualdade entre os dois sexos e fez mais pela libertação da mulher e a igualdade efetiva da mulher com respeito ao homem(naquelas sociedades que já haviam se libertado da exploração capitalista) que o mais democrático dos sistemas burgueses.

Mas nesse terreno, igual que outros, o marxismo vem travando uma batalha feroz e prolongada contra a ideologia reacionária e burguesa. Numa época anterior de desenvolvimento da sociedade se tratava principalmente de combater o sistema econômico e social da servidão pela economia doméstica, e preconceitos religiosos que limitam a mulher com uma dupla cadeia.Hoje em dia a classe dominante já não apela tanto a religião, entre outras razões, porque o desenvolvimento da grande industria obrigou a empregar a mulher, a sacar-la de casa, fazendo-a participar no trabalho produtivo e na luta de classes de uma maneira direta. A incorporação da mulher a grande industria quebrou muitos preconceitos e os laços que a prendiam ao passado, fazendo-a ciente de sua condição duplamente explorada e oprimida..

A mulher é explorada e oprimida pela sociedade capitalista, em primeiro lugar, com salários e condições de trabalho muito inferiores aos do homem, e carece de muitos dos direitos que foram conferidos ao homem, mas também a mulher sofre a exploração e a opressão por parte de seu companheiro. Esse ultimo é o resultado do anterior, ou seja, é consequência do tipo de sociedade baseada na propriedade privada e da exploração da classe trabalhadora e de modo algum pode ser atribuído ao homem em abstrato, posto que, de muitas formas, o homem mesmo(e a classe trabalhadora em particular) é também vitima desse sistema e dos efeitos que produz na vida da mulher e as relações com o parceiro.

O caso é que a burguesia, os sacerdotes, os revisionistas e muitos outros hipócritas e moralistas (nem sempre desinteressados), vem explorando a fundo essa segunda contradição e desviando a atenção das massas femininas da primeira e principal contradição com o claro objetivo de separar o movimento das mulheres trabalhadoras da luta contra o sistema que origina todos os males, buscando enfrentar o homem. Assim, se deu o nascimento em todos os países capitalistas desenvolvidos ao Movimento Feminista. Este movimento que se pretende progressista e libertador é, na realidade, profundamente reacionário e e está em aberta contradição com o marxismo e as leis do desenvolvimento social.


Nenhum comentário:

Postar um comentário