sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

O imperialismo é dependente da globalização


Resultado de imagem para Globalização imperialista

Qual país planejou a globalização da forma como ela é hoje?

Estados Unidos

Qual país impulsionou a globalização, inclusive, com medidas de força?


Estados Unidos

E isso independentemente do partido que porventura estivesse no poder. Porque o cerne da questão é o imperialismo, portanto, para ele se solidificar e ter real interferência sobre as decisões de outras nações e consequentemente a hegemonia comercial financeira e cultural é fundamental que as relações econômicas e os sistemas produtivos mantenham-se como estão.

O sistema capitalista não tem como regredir a fase anterior do imperialismo e muito menos ''antimonopolista''. Muito pelo contrário, o que assistimos atualmente é o domínio global não mais por uma centena de empresas multinacionais, mas sim por mega conglomerados transnacionais que são resultados do acumulo constante de capital e dos meios de produção na mão de uma pequena elite.

Uma elite que não representa pura e simplesmente os interesses do país A ou B, mas todo um planejamento das principais cabeças do capitalismo em âmbito mundial.

A contradição não se dá entre burguesia nacional e burguesia estrangeira (como muitos acreditaram até um tempo), na realidade a contradição principal é entre a soberania nacional nos seus mais elementares fundamentos e a meia dúzia de transnacionais que controlam os setores mais importantes da economia (da produção química aos bancos).

Não será apenas uma questão de vontade do politico republicano, democrata ou liberal que essas relações comerciais e produtivas irão mudar. É necessária toda uma cadeira de acontecimentos, incluindo a retomada do leme econômico pelos governos em diversas partes do mundo para a mudança desse sistema.

Claro, isso não acontecerá com discursos, acordos e muito menos um jogo duplo (mordida no mercado de um lado ao mesmo tempo em que concede com o outro).

O problema é na raiz do capitalismo, logo, a resolução é corta-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário